19 fevereiro 2019

Espetáculo: Carmen, Carmens Entre [lados]


Hey pessoa! Antes de começar a falar desse espetáculo épico (estou sendo irônica hahaha), vai ficar um pequeno resumo com spoiler da obra original.

Conta a história de Don José, onde ele se muda para a Andaluzia e alista-se no regimento dos Dragões e, nessa condição, conhece Carmen. Sem uma formação sólida, D. José, movido pela emoção, apaixona-se perdidamente pela cigana, que o adverte da fatalidade dessa aproximação, afirmando que jamais se prenderá ou se subordinará a alguém. Em seguida, vítima do ciúme que sente por Carmen, Don José mata um oficial dos Dragões que fora por ela atraído, o que o obriga a desertar e acompanhar Carmen nas peripécias do contrabando com Gibraltar, região controlada pelos ingleses. Só aí ele descobre que ela tinha um marido na prisão. Quando este é libertado Don José integra-se ao bando e mata o marido de Carmen em duelo. Segue-se a paixão de Carmen por Lucas, o qual também seria liquidado, não fosse o fracasso numa tourada na qual foi ferido. Por fim, Don José decide matar Carmen, se entrega às autoridades e admite os crimes pelos quais é condenado à forca. (Folha de São Paulo).

Livro pocket Disponível em PDF: Carmem .

Então, essa proposta foi feita pelo professor Robson Roen junto com a disciplina Leitura e Produção de Textos.Um grande desafio para todos nós. Em algumas reuniões que tivemos, foi decidido que iriamos fazer fragmentos dessa obra, dançado, sim decidimos tudo só nós, sem o professor opinar em nada, ele mesmo disse que queria surpresa. Ou seja recém chegados na faculdade, sem ter nenhuma intimidade entre nós e ainda ter a missão de surpreender o professor ao final do semestre, estava tudo as maravilhas (SQN mesmo). Ele simplesmente jogou pros pobres calouros esse abacaxi para descascar.
A construção dessa adaptação ao meu ver, foi simplesmente um inferno de chateações e estresses, a falta de compromisso de muitos, os ensaios atrasavam muito, as discussões desnecessárias, falta de respeito por parte de alguns com outros e vi muitas coisinhas sem noção, essas coisas ajudaram muito pra chegar nesse nível de estresse, e também tem aquela história "dê o poder a ele, e ele mostrará quem realmente é". Já pode imaginar né... Eu também não fui muito simpática muitas vezes não, porém me controlei inúmeras vezes. hahaha, teve momentos que fiquei no automático para me poupar. O bom de tudo, foi que tive a certeza com quem eu iria me misturar para possivelmente ter projetos futuros. Achei válido esse tipo de trabalho só com a turma (hahaha bem sádica masoquista ela). 
Foto: Equipe de eventos Ensino Médio.
Elenco: Em cima esquerda para direita- Thiago Augusto, Enildo Jr, Emerson Floor Riders,Ana Maria, Adna Machado, Gabriella Siqueira, Lari Cezar, Leticia Myllena, Luana Vieira, Carol Alves, Jullyana Rigueto, Lohane Costa, Deborah Cruz, Priscila Santos, Mari Paz, Leticia Medeiros, Day Gomes, Lays Laloop.
Em baixo: Mateus Santana, Gisele Boaventura, Italo prado, Talita Dourado, Adriana Pereira e Mariana Costa.
Professor Robson Roen e alunos  Karina Vernizzi, Thiago Rocha, (Não Consegui identificar sorry!),Samuel Soares e Flávio Enrique.
Falando da adaptação que fizemos, o espetáculo foi divido em 8 atos se não me engano. Antes de tudo começar o espetáculo de fato, teve a abertura do espetáculo, que falava dos nosso possíveis "defeitos/impedimentos" de ser quem somos de verdade (bem escrúpulo minha colocação), eu por exemplo relatava a ansiedade, as demais meninas: Luana Vieira (baixinha demais), Day Gomes(excesso de peso), Mariana Costa (sem bunda e peituda demais), Jullyana Rigueto (por ser branca), Carol Alves (cabelo afro) e Adriana Pereira (por ser negra), cada uma relatava sua vivência por ser quem era, em alguns momentos ficou até engraçado, pela atuação de cada uma, pois levaram muito na esportiva as situações que contaram. Também teve a entrada da Letícia Medeiros nos incentivando e mostrando o que era de melhor em cada uma de nós, nos "empoderando", coloquei entre aspas, porque acredito que ninguém empodera ninguém, pois já nascemos com esse poder, porém nem todas sabem que tem esse poder já dentro de si, só precisa que alguém ative ele, no caso mostrando-lo. Só que esse empoderamento pode ser de inúmeras formas (ter atitude de fazer o que você quer, ser sexy/não, querer ser dona de casa/não, ter filhos/não, ter namorado etc/não), ter esse real poder e autonomia sobre sua vida e enxergar que é capaz de tudo.

Nesse link tem um trecho do  Vídeo.

                              Camarim (1):
Esquerda pra direita: Isabela Teles, Carol Alves, Priscila Santos, Mari Paz, Letícia Medeiros, Day Gomes, Adriana Pereira, Mariana Costa e Lays Laloop.

No decorrer do espetáculo, irei colocar os atos, porém não saberei qual era a ordem de alguns: Foram 7 Carmens, sim a ideia era mostrar que existiam vários estilos de Carmem, a Isabela Teles dançou o samba, mostrando esse molejo e graciosidade que uma Carmem pode ter, teve um casal gay que foram a Carol Alves e Letícia Medeiros, sim mostrou que duas Carmens poderiam ter um romance (foi assim que interpretei, se fugiu da ideia sorry de novo), teve quando o amor deles (José e Carmem) estava se tornando possessivo, quem fez essa Carmen foi a Letícia Myllena, teve a Carmen sedutora, interpretada pela Lays Lallop e a última Carmen foi interpretada pela Deborah Cruz, onde aconteceu a morte , foi uma dança na ponta. Os estilos de dança que teve nesse espetáculo foram: Jazz, balé, contemporâneo, zouk, samba, funk e uma batalha de B.boys. Se eu tiver esquecido de algo sorry, é o que temos para hoje.
No final deu tudo certo, o professor gostou do resultado, seu ego foi lá nas nuvens, de ter sido (acho que) o primeiro professor a "proporcionar" esse tipo de trabalho, logo no primeiro semestre de uma turma. E o melhor de tudo foi que nós ficamos conhecidos pelos os outros semestres como a turma do "espetáculo" (espero que eles tenham sido irônicos).

Link da reportagem portal: IFB

Segunda versão de Carmen, Carmens Entre [lados]


A segunda versão apresentada no Conecta de 2017, adivinha? Eu já tinha conseguido minha nota para passar de semestre, então não participei (zoas), até porque foi reapresentado no inicio do segundo semestre, e eu estava sem tempo na época dos ensaios, então só fui assistir mesmo, me pergunto até hoje o que que aconteceu nessa segunda versão, aliás sei sim hahaha, gostei de algumas coisas que teve, a interpretação do Mateus Santana como José, sendo o opressor de Carmen, acho que não poderia ter sido outra pessoa para interpretar, ficou muito bom, a música (Maria da Vila Matilde) da Elza Soares, a participação do João Sampaio e outras coisinhas. Que no momento só o que lembro...

Link da reportagem: Conecta 2017 

Em tudo foi uma experiência diferente e de grande aprendizados. Xeruu 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Não faça na minha casa o que você não gostaria que fizesse na sua".